5946 Reblog

Há 2 semanas

in-morpheus-arms:

☸
94 Reblog

Há 1 mês

a tua voracidade me agride
recuo a ponto de quase sair de mim
e o teu aperto me sufoca
a minha mão não mais te toca
e o teu olhar não me penetra
e o teu amor me consome e não me agrada se for assim
e ele era tudo que me faltava
você se abriga em mim
e a minha vontade sempre te mata.

(Fonte: cantamor, via oxigenio-dapalavra)

176 Reblog

Há 1 mês

eu não preciso mais dos teus olhos para me enxergar
nem da tua pele para me sentir
a tua falta prendeu o meu ar
e o teu amor parou de me servir.

(Fonte: cantamor, via oxigenio-dapalavra)

14039 Reblog

Há 1 mês

3617 Reblog

Há 1 mês

"O segredo é esse, a felicidade não está nas grandes coisas, na quantidade de dinheiro que carregamos no bolso, está no conjunto do dia, nos pequenos gestos, nas ocorrências cotidianas, está na leitura de um olhar discreto, nas reações e sentimentos alheios, nas impressões sentimentais naufragadas ou prestes a surgir do inconsciente, nas respostas ditas claramente e sem medo, na estante de livros do corredor, na capacidade de sermos diferentes e incrivelmente interessantes, de nos permitirmos a enlouquecer e sair pela ruas declarando o amor ou a desilusão, de entendermos que só há uma saída quando se trata de ser verdadeiro, e ela reside no fato de sermos exatamente quem somos, gays, transviados, românticos, poetas marginais, políticos, amantes, nerds, surfistas, deístas, travestis, cristãos, militares, hyspers, ou quem sabe um transviado-militante ou um sufista-poeta, somos todos seres humanos mutantes em completa e constante evolução. Saber que se radicalizar ou se prender ao passado, à ideias retrógradas e estapafúrdias é se congelar perante as possibilidades, é burrice frente ao um mundo que anda na velocidade da luz. Nos resta saber que a felicidade está impreterivelmente nas nossas escolhas e ações cometidas quando nos deparamos com o absurdo e irreal aos olhos do coração, está dentro de nós, está na nossa capacidade de semear o bem e o mal, de criar estilos inéditos, misturados, completamente inusitados. Os momentos escrevem a vida assim como os ponteiros percorrem o relógio e definem as horas do dia. Então, não sejamos egoístas, sejamos responsáveis e corajosos, sejamos condutores e produtores de nossas próprias vidas. Chega de culpar o outro e nos justificarmos citando regras e padrões ou até mesmo nossos pais e professores. Está na hora de sermos pessoas melhores, chega de tanta mediocridade e lamentações. É hora de escrever nossos próprios princípios de vida, defendê-los e sermos absolutamente livres e felizes."
Elisa Bartlett in Anarquista Moderno Transeunte. (via oxigenio-dapalavra)

(via oxigenio-dapalavra)

1020 Reblog

Há 1 mês

"apagar-me
diluir-me
desmanchar-me
até que depois
de mim
de nós
de tudo
não reste mais
que o charme"
Paulo Leminski (via oxigenio-dapalavra)

(Fonte: desdobras, via oxigenio-dapalavra)

259 Reblog

Há 1 mês

somos todos furacões

oxigenio-dapalavra:

estragando nossas e suas

próprias ou alugadas
vidas em geral.
por consequências desiguais
ou apatias reais
em meio ao campo  (ou ao caos) virtual
das nossas preces sem deus
das nossas noites sem céu
das nossas almas
- sem elas mesmas.

z

(Fonte: berrlin, via oxigenio-dapalavra)

74 Reblog

Há 1 mês

http://oxigenio-dapalavra.tumblr.com/post/77024849857/quando-chove-meu-corpo-se-debru-a-em-carinho

oxigenio-dapalavra:

quando chove, meu corpo se debruça em carinho consigo mesmo, sinto que a natureza está mais próxima, que o céu desce, que a vida se desconstrói.
segunda feira: mas sinto-me do tempo infinito, dos espaços todos, das ruas molhadas, dos olhos fundos, das almas encharcadas. vivo na hora do amor em…

(Fonte: caosmoss, via oxigenio-dapalavra)

1467 Reblog

Há 1 mês

"As pessoas engolem Deus sem pensar, engolem o país sem pensar. Esquecem logo como pensar, deixam que os outros pensem por elas."
Bukowski (via oxigenio-dapalavra)

(Fonte: bukowsta, via oxigenio-dapalavra)

12847 Reblog

Há 1 mês

"Guarda estes versos que escrevi chorando como um alívio a minha saudade, como um dever do meu amor; e quando houver em ti um eco de saudade, beija estes versos que escrevi chorando."
Machado de Assis. (via oxigenio-dapalavra)

(via oxigenio-dapalavra)

A snazzyspace.com Theme A snazzyspace.com Theme